Cause the sweetest Kiss I ever got

Is the one I ve never tasted.

 

Cause, Sixto Rodríguez (1971)

 

 

 

Tu miras frenética os teus párpados

dormindo REM ao meu lado.

Eu sonho com a espuma do mar,

efervescente, nos teus olhos.    

  

E navego uma noite

de pensamentos

sem mácula.

 

Perdido em mim mesmo

como a escuridade na noite.

 

Emerjo com o sol,

para tomar ar.

 

E o meu corpo

é um relógio latendo,

que lhe rouba o pulso ao vazio.

 

Eu esbaro pela vida

como a chuva nas janelas.

 

Mas não há nada novo...

 

Tenho os versos tatuados

debaixo da pele,

aguardando a que o tempo

os alcance.

 

Escrevo só para os vermes.

 

A realidade está degradada,

a existência é uma mancha.

 

O único bom

É que voltaram as palavras.

 

Ainda que sejam estas.

 

 

 

 

REM